As histórias de vida que viraram filmes!

segunda-feira, 16 de maio de 2016

As histórias de vida que viraram filmes!

Hoje quis trazer para este post alguns filmes baseados em histórias verídicas que acredito que toda a pessoa, com deficiência ou não, deveria assistir. Não para dar lição de moral e tão pouco para que se despertem sentimentos do tipo: “Agente reclama por tão pouco!”...
Sim, porque todos nós temos sofrimentos na vida, cada um com suas dores e delícias, não é preciso comparar quem sofre mais ou menos, talvez uma pessoa tetraplégica sofra menos do que uma pessoa obesa, por exemplo, tudo vai depender da forma como ela aceita e lida com suas dificuldades; e justamente por isso gostaria que as pessoas assistissem estes relatos de vida com o olhar das possibilidades e da alegria de estar vivo!

A palavra PRECONCEITO diz sozinha do porquê de sua existência, as pessoas são preconceituosas quando não conhecem uma situação e assim fazem pré-julgamentos, instituem pré-conceitos. Ou seja, se levarmos informação diminuiremos estes conceitos errados, mal colocados e que fazem das pessoas diferentes menores que as outras ou menos capazes.

Eu pessoalmente recomendo três filmes, muito diferentes entre si, mas que me marcaram nestes quase 10 anos de pessoa com deficiência. Os três falam de deficiências físicas severas, e todos têm algo em comum, a incrível volta por cima que as pessoas podem dar quando suas mentes são abertas a uma adaptação de um modo de vida diferente, com limitações, mas com muitas possibilidades!

A Teoria de Tudo

A Teoria de Tudo


 A Teoria de Tudo é uma história extraordinária e edificante de uma das maiores mentes vivas do mundo, o renomado astrofísico Stephen Hawking, e de duas pessoas desafiando as mais profundas adversidades através do amor. O filme, baseado na autobiografia intitulada Travelling to Infinity: My Life with Stephen, de Jane Hawking, é dirigido por James Marsh, vencedor do Oscar (O Equilibrista / Man on Wire).

Murderball

Murderball


O longa-metragem Murderball – Paixão e glória (2005), dirigido por Henry Alex Rubin e Dana Adam Shapiro, é um documentário que aborda a trajetória da equipe estadunidense de rúgbi em cadeira de rodas, ou simplesmente quad-rugby – originalmente batizado de Murderball, o que motivara o título da referida obra –, rumo às paralimpíadas de Atenas (2004).

    A peculiaridade do título já torna a obra, minimamente curiosa, e, certamente, singular. Em uma tradução literal, o que se pode esperar de um esporte chamado “Bola assassina” ou, de maneira abrasileirada, “Assassinobol”?

Os Intocáveis

Intocáveis


Comédia sobre o valor da amizade, Intocáveis é baseado na história real de amizade entre um milionário francês tetraplégico, Philippe Pozzo di Borgo, e um imigrante algeriano que ele contrata como seu enfermeiro, Abdel Selou (que no longa virou o personagem Driss), e que acaba fazendo com que ele volte a ver graça na vida, mesmo com todas as dificuldades de ser deficiente físico e após a morte de sua mulher, Beatrice. Hoje em dia, Borgo continua morando na França, mas com sua nova mulher. Já Selou se casou, teve filhos e se mudou para o Marrocos.

Para complementar, aqui vão sugestões de outros filmes, dados por blogs na internet, e resumidos aqui para quem adora a delicia da telinha!!! Boa diversão!!!


Indicações da página Deficiente Ciente:

Hasta la Vista

Em comédia belga, cego e cadeirantes tentam perder a virgindade. Eles viajam para bordel na Espanha no longa dirigido por Geoffrey Enthoven. Desafiar as boas maneiras do politicamente correto para fazer humor em cima da dificuldade de três jovens com deficiências — um cego, um paraplégico e um tetraplégico — em perder a virgindade é o grande desafio vencido pela comédia belga “Hasta la vista, venha como você é”.

Soul Surfer – Coragem de viver

“Soul Surfer – Coragem de Viver” (2011) levou para as telas a história real de Bethany Hamilton, vivida no filme pela atriz AnnaSophia Robb. Bethany sempre teve como sua maior paixão o surfe. Com apenas 13 anos, a menina já era campeã em competições profissionais. Em um trágico dia, Bethany foi vítima de um ataque de tubarão e perdeu seu braço esquerdo. Mas nem isso a manteve longe do mar e de sua paixão pelo esporte!

O Escafandro e a Borboleta

Colocar o espectador na posição do protagonista é o objetivo de toda narrativa dramática, mas como fazer isso plenamente quando o protagonista é alguém como Jean-Dominic Bauby? Editor da revista Elle  francesa, Bauby sofreu um derrame cerebral e perdeu sua locomoção. Tirava seu sustento do mundo das aparências e de uma hora para outra seu corpo se tornou um constrangimento. Dentro desse “escafandro”, Bauby raciocinava normalmente, mas precisou aprender a se comunicar com o mundo de forma restrita. Mais exatamente, com o olho esquerdo. Piscar uma vez é “sim”, duas vezes é “não”.

Os melhores dias de nossas vidas

Rory (James McAvoy) é um jovem rebelde, bem humorado, que fala o que pensa, não liga para as convenções sociais, nem para nada, nem para ninguém. Seu oposto é Michael (Steven Robertson), que sempre levou uma vida completamente sem graça e enfadonha. O que estas duas pessoas tão diferentes poderiam ter em comum? A resposta é ao mesmo tempo simples e cruel: Rory é tetraplégico e Michael tem paralisia cerebral. Descontentes com as regras da vida , estes dois amigos inusitados planejam deixar a instituição onde estão internados com a ajuda de Siobhan (Romola Garai) para que eles finalmente atinjam seus objetivos: viver a vida em toda a sua intensidade. Mas quais as surpresas que o mundo fora dos portões da instituição irão revelar aos dois rapazes?

De porta em porta

O filme é baseado na história verdadeira de Bill Porter. Bill nasceu com Paralisia Cerebral, o que acarretou limitações na sua fala e nos seus movimentos. Com o apoio sempre presente de sua mãe, o filme mostra a luta de Bill para conquistar um emprego de vendedor de porta em porta. Após convencer o empregador a lhe dar uma chance, Bill consegue o emprego. Tanto na entrevista de seleção para a vaga de emprego como nos primeiros contatos com seus clientes, ele vivencia situações de preconceito e rejeição. No entanto, nunca se esquece o que sua mãe lhe ensinara: paciência e persistência. Aos poucos, Bill começa a conquistar a amizade e a confiança de seus clientes, tornando-se um vendedor muito querido e competente. Por mais de 40 anos Bill caminhou 16 quilômetros por dia.

Ferrugem e osso

O que você faria se acordasse num hospital após um acidente e estivesse com as duas pernas amputadas do joelho para baixo? Marion Cotillard tem uma resposta: “Adaptar-se”. Foi que o que a atriz fez para viver a treinadora de baleias Stéphanie, em “Ferrugem e Osso”, drama francês de Jacques Audiard. “Ferrugem e Osso” mostra o reaprendizado do movimento por um amputado – da cama do hospital à cadeira de rodas, passando pelo andar com próteses ao sexo – de maneira natural e, mesmo sendo um fato de grande impacto, está longe de ser o mote do filme. O longa é sobre como a vida pode ser perversa, dura, cruel e também bela, redentora, livre. É sobre, acima de tudo, perseverança.

Carne Trêmula

Victor (Liberto Rabal) se apaixona perdidamente pela belíssima Elena (Francesca Neri), mas um golpe do destino impede que o namoro vá para frente. A jovem que é viciada em drogas, no primeiro encontro saca um revólver e quando a policia chega em seu apartamento para averiguar o que está acontecendo, um tiro acidental atinge David, um dos policiais,agora condenado a viver numa cadeira de rodas. Mas o que poderia ser uma tragédia transforma-se numa reviravolta fantástica dando a todos os envolvidos a oportunidade de encontrar a felicidade. O talento e ousadia de Pedro Almodóvar são sua marca registrada em Carne Trêmula, uma história chocante com muito erotismo.

Algumas boas sugestões da Revista Sentidos:

Nascido em 4 de Julho – Alguns consideram o melhor trabalho do ator Tom Cruise no cinema. Ele personifica Ron Kovic, um rapaz idealista e cheio de sonhos, que deixa a namorada (Kyra Sedgwick) e a família para ir lutar no Vietnã. Durante o conflito, ele é ferido e fica paraplégico. Ao voltar aos Estados Unidos, é recebido como um verdadeiro herói. Entretanto, logo se vê às voltas com a difícil realidade do preconceito às pessoas com deficiência e descobre que nem os heróis de guerra escapam dessa deformidade social. Ron decide, então, se juntar a outras pessoas para lutar por seus direitos, que, como ele sentiu na pele, foram negados, inclusive, pelo próprio país que o enviou para os campos de batalha. Direção: Oliver Stone. Elenco: Tom Cruise, Raymond J. Barry, Caroline Kava, Kyra Sedgwick e Tom Berenger (Estados Unidos, 1990).

Perfume de Mulher – Mais um show de interpretação de Al Pacino, que vive Frank Slade, um tenente-coronel cego e amargurado, que viaja para Nova York com Charlie Simms (Chris O’Donnell), um jovem acompanhante, com quem resolve ter um final de semana inesquecível antes de morrer. Entretanto, durante a viagem, ele passa a se interessar pelos problemas do rapaz, esquecendo um pouco sua amarga infelicidade. Direção: Martin Brest. Elenco: Al Pacino, Chris O’Donnell, James Rebhorn (Estados Unidos, 1992).

Forrest Gump – o contador de história – Outro grande trabalho do protagonista. Quarenta anos da história dos Estados Unidos são dissecados através dos olhos de Forrest Gump (Tom Hanks), um rapaz desajustado, com problemas psicológicos e QI abaixo da média, mas essencialmente com boas intenções. Por obra do destino, ele consegue participar, diretamente, de momentos cruciais, como a Guerra do Vietnã e o caso Watergate, mas não consegue esquecer seu amor de infância, Jenny Curran. Direção: Robert Zemeckis. Elenco: Tom Hanks, Gary Sinise e Robin Wright (Estados Unidos, 1994).

Amargo Regresso – Mais um filme que tem como pano de fundo a Guerra do Vietnã. Em 1968, Bob Hyde (Bruce Dern), um oficial do exército norte- americano, embarca para o conflito. Sally (Jane Fonda), sua mulher, vai trabalhar em um hospital de veteranos e lá acaba se apaixonando por Luke Martin (Jon Voight), um soldado que ficou paraplégico na mesma guerra. A trama se desenvolve até que, quando a verdade é revelada, as consequências se tornam dramáticas para todos os envolvidos na história. Direção: Hal Ashby. Elenco: Jon Voight, Jane Fonda e Bruce Dern (Estados Unidos, 1978).

A música e o Silêncio – Desde muito cedo, Lara serviu de intérprete para seus pais surdos, ajudando- os a se comunicar com as outras pessoas e com o mundo à sua volta. Já crescida, ela demonstra grande talento musical. É justamente neste momento que aparece um dilema em sua vida: se quiser seguir uma promissora carreira na música, terá de se mudar para Berlim, na Alemanha, deixando seus pais. Direção: Caroline Link. Elenco: Alexandra Bolz Mari, Emmanuelle Laborit e Hansa Czypionka (Alemanha, 1998).

A Força de um Campeão – Baseado em uma história real. Em 1977, com apenas 21 anos de idade, o canadense Terry Fox (Eric Fryer) teve a perna direita amputada, em consequência de um câncer. Determinado a levantar fundos para pesquisas que buscam a cura da doença, ele decide atravessar o país a pé para chamar a atenção do maior número de pessoas para o problema. Em sua empreitada, o rapaz conta com a ajuda de um médico (Robert Duvall). Direção: Ralph L. Tomas. Elenco: Eric Fryer, Robert Duvall e Chris Makepeace (Canadá e Estados Unidos, 1983).

A Cor do Paraíso – O filme narra a comovente história de Mohammad (Mohsen Ramezani), um menino cego que mora numa escola especializada para crianças com deficiência visual. Durante as férias, ele volta para seu vilarejo nas montanhas, onde convive com as irmãs e sua amada avó. O pai, que é viúvo, se prepara para casar novamente. Mohammad é um garoto muito vivo, dotado de enorme sensibilidade. Seu jeito simples de “ver o mundo” é uma grande lição de vida. Direção: Majid Majidi. Elenco: Hossein Mahjoub, Mohsen Ramezani e Salime Feizi (Irã, 1999).

Código para o Inferno – A história começa mostrando o fracasso de uma operação policial. Em consequência, Arthur Jeffries (Bruce Willis), um agente do FBI, serve de bode expiatório e passa a ser preterido, sendo usado somente em operações de rotina. No entanto, sua vida sofre uma mudança radical quando Simon Lynch (Miko Hughes), um menino autista de nove anos, sem precisar se esforçar, desvenda um secretíssimo código do governo norte-americano, que tinha custado US$ 2 bilhões. Assim, o responsável pelo projeto ordena que a criança seja eliminada para preservar o segredo. Contudo, o agente encarregado da missão mata os pais do garoto (simula que o marido matou a mulher e se suicidou), mas a criança não é encontrada. Jeffries descobre Simon em um esconderijo e não aceita a versão oficial de “suicídio”. Querem o garoto morto, mas ele decide protegê-lo sozinho. Outras pessoas são mortas e, se não correr, Simon poderá ser a próxima vítima do chefe da agência, que está determinado a fazer qualquer coisa para manter seu poder. Direção: Harold Becker. Elenco: Bruce Willis, Miko Hughes, Alec Baldwin e Kim Dickens (Estados Unidos, 1997).

Colecionador de Ossos – Em Nova York, Lincoln Rhyme (Denzel Washington), um respeitado policial, sofre um acidente e fica tetraplégico. Depois de quatro anos preso em uma cama, Rhyme passa a se concentrar na ideia de suicídio. Para isso, tenta convencer os que estão ao seu redor a ajudá-lo. Tudo muda quando um serial killer começa a agir na cidade. Rhyme passa, então, a ajudar no caso e os meios tecnológicos mais modernos de investigação são levados para sua casa. Amelia Donaghy (Angelina Jolie), uma policial de rua, é orientada por ele na investigação, mas Howard Cheney (Michael Rooker), o chefe de polícia, é incompetente e passa a criar problemas. Direção: Phillip Noyce. Elenco: Denzel Washington, Angelina Jolie, Michael Rooker e Queen Latifah (Estados Unidos, 2000).

Feliz Ano Velho – Autobiográfico, o filme é baseado na vida e no livro best-seller do jornalista e escritor Marcelo Rubens Paiva. Conta a história de Mário, um jovem que perdeu o pai na época da ditadura militar. Durante um passeio com amigos, ele mergulha em um lago, acaba sofrendo um acidente e fica tetraplégico. Preso em uma cadeira de rodas, o rapaz sofre com suas angústias e busca maneiras de sobreviver. Então, começa a escrever sobre o seu passado. Logo ele finaliza o livro, que se torna um sucesso de público. Direção: Rubens Gervitz. Elenco: Marcos Breda, Malu Mader e Betty Gofman (Brasil, 1987).



Nenhum comentário :

Postar um comentário

 

Idioma

Contato

cadeirantes.life@gmail.com

FACEBOOK

INSTAGRAM @cadeirantes_life

Cia de Dança Loucurarte

Receba por e-mail

Digite seu e-mail:

DESTAQUE

Dicas para PCD encontrar emprego

Se você é uma pessoa com deficiência, deve saber que encontrar um emprego satisfatório e bem remunerado é duas vezes mais difícil do que ...

Entrevistas