Moto adaptada BEAD

quinta-feira, 9 de julho de 2015


Pessoal, vi um vídeo muito bacana sobre uma adaptação feita para nós cadeirantes, e resolvi ir atrás dar uma pesquisada e buscar informações. Não é propaganda nem nada, até acho que esta bem fora da realidade brasileira ($), mas como a ideia é falar também de adaptações bacanas e não só de valores da uma analisada no brinquedinho.

Bead é uma scooter elétrica para pessoas que usam cadeira de rodas, desenvolvida por uma empresa da Suécia. O design é retro, funcional e bem pensado. Ela pode ser encomendada em várias larguras.Bead é uma scooter que leva você onde você quer ir em qualquer tempo, mesmo na neve e na praia. É fácil e divertido de usar. Você entra rodando com sua sua cadeira de rodas e com um único botão que você travar a cadeira de rodas e, simultaneamente, conduz a scooter. 

Bead é uma poderosa scooter elétrico que está equipada com um motor de hub em cada roda traseira, usamos é usado um sistema de travagem geradora que significa que assim que você soltar os freios ela começa a acelerar automaticamente. Há também um travão na roda dianteira operado manualmente. Você pode dirigir até 50 km com baterias de chumbo e 120 km com baterias de íon de lítio. Há um carregador de bateria montado em cada grânulo, o carregamento ocorre através de uma tomada elétrica padrão. Na Suécia, o grânulo é classificado como Classe III e pode ser conduzido em calçadas, ruas de bicicleta e nas estradas. E você não precisa ter  qualquer tipo de licença. 

Comprimento 154 centímetros 
Largura de 114 centímetros 
Peso 165 kg 
Você pode escolher a cor
Valor Aproximado R$ 40.000,00
Contato  micke@bead.nu







Conhece alguma adaptação maneira?
Então manda para nós no cadeirantes.life@gmail.com

Um comentário

 

Idioma

Contato

cadeirantes.life@gmail.com

FACEBOOK

INSTAGRAM @cadeirantes_life

Cia de Dança Loucurarte

Receba por e-mail

Digite seu e-mail:

DESTAQUE

Dicas para PCD encontrar emprego

Se você é uma pessoa com deficiência, deve saber que encontrar um emprego satisfatório e bem remunerado é duas vezes mais difícil do que ...

Entrevistas